Ano Jubilar

2016: Ano Missionário da Família Salvatoriana no Brasil




As comemorações do Ano Missionário da Família Salvatoriana teve início no dia 31 de janeiro de 2016. Neste ano, Padres e Irmãos completam 120 anos, Irmãs 80 anos e Leigos 30 anos de Presença Salvatoriana no Brasil. São três importantes datas a serem celebradas pela Família Salvatoriana ao longo do ano de 2016.
 
Para viver intensamente o Ano Missionário, a Família Salvatoriana é chamada a aprofundar e refletir sobre o SER MISSIONÁRIO, à luz do tema: “A missão do Salvador é nossa paixão”. Com isso, o ano de 2016 – Ano Missionário Salvatoriano, é um tempo de graça para todos os salvatorianos e salvatorianas que são chamados (as) a viver com paixão sua vocação e dar testemunho da beleza do nosso seguimento a Jesus Salvador, nas diferentes formas em que se desenvolve a nossa vida e missão.
 
Como Salvatorianas e salvatorianos, somos enviadas (os) em missão para que todos conheçam, amem e se tornem discípulos missionários de Jesus, o Salvador. O fundador da Família Salvatoriana, Pe. Jordan, por inúmeras vezes tem indicado esta exigência de não sossegar um instante sequer, enquanto houver sobre a terra um único ser humano que não conheça a Deus e não O ame sobre todas as coisas. O Papa Francisco também faz um apelo para sermos uma Igreja “em saída” que deva “sair da própria comodidade e ter a coragem de alcançar todas as periferias que precisam da luz do Evangelho”.
 
Presença Salvatoriana no Brasil
 
No Brasil, a presença salvatoriana vai acontecendo aos poucos e em tempos históricos diferentes. Foi em 1896 que os primeiros Padres e Irmãos Salvatorianos pisaram em terras brasileiras; em 1936, chegaram as primeiras Irmãs Salvatorianas ao Brasil. Por fim, no ano de 1986, surgiram os primeiros Leigos Salvatorianos, formando por completo, a Família Salvatoriana no Brasil.
 
Atualmente a Família Salvatoriana está presente no Brasil em nove estados brasileiros e atua na área da evangelização, missão adgentes, formação de lideranças, educação, saúde, projetos sociais, juventude, animação vocacional.
 
Para marcar a comemoração destas três datas históricas na vida e missão salvatoriana no Brasil, uma série de atividades será realizada durante o ano de 2016, a fim de celebrar a trajetória percorrida até aqui, para que hoje e sempre os salvatorianos e salvatorianas possam irradiar o fogo do carisma de Pe. Jordan, expressando com grande vivacidade que “a missão do salvador é nossa paixão”.



 




Em virtude da Celebração da Presença Salvatoriana no Brasil – 2016: 80 anos das Irmãs, 120 anos dos Padres/Irmãos e 30 anos dos Leigos/as, a Bandeira de Jesus Salvador está peregrinando por todas as comunidades e atividades apostólicas das Irmãs Salvatorianas da Província Santa Catarina.
 
Contextualização:
 
A ideia da Bandeira de Jesus Salvador, nasceu da necessidade de envolver o povo na celebração dos 80 anos da presença das Irmãs Salvatorianas no Brasil. Concluiu-se que uma das formas de alcançar o povo é pela via simbólica, sacramental, mística.
 
O Papa Francisco em muitas de suas falas nos convida, encoraja e reforça a piedade popular, como precioso tesouro da Igreja católica e “uma forma genuína de evangelização, que precisa ser cada vez mais promovida e valorizada, sem minimizar a sua importância”.
 
Assim, somos confirmadas que a Bandeira de Jesus Salvador é uma mediação forte para revitalizar e valorizar as expressões de fé do nosso povo e conduzi-lo pedagogicamente para a experiência pessoal e comunitária de salvação que nos capacita e envia para proclamar a alegria do Evangelho, como fez com os primeiros discípulos/as, que logo depois de terem conhecido o olhar de Jesus, saíram proclamando cheios de entusiasmo: “Encontramos o Messias” (Jo 1, 41), (Jo 4, 39), 9At 9, 20). É também uma oportunidade de ressignificar a presença salvatoriana, fazendo-nos mais próximos do povo em suas realidades vitais, bebendo da sua fé e simplicidade.
 
Objetivos da visita da Bandeira de Jesus Salvador
 
- Reafirmar que Jesus Salvador é o centro e a fonte de nossa vida salvatoriana e reavivar nossa missão de conhecê-lo intimamente, amá-lo e servi-lo sem reserva (Cf RV 4).
- Tornar Jesus Salvador conhecido e amado, facilitando meios para a experiência do encontro existencial – pessoal e comunitário com Ele que ama, chama e envia.
- Encorajar e animar as comunidades cristãs no seguimento de Jesus Salvador, como Igreja missionária – em saída, alegre e comprometida com a construção do Reino de Deus.
- Celebrar com alegria a presença da Família Salvatoriana no Brasil.
 
  
Acompanhe abaixo a peregrinação da Bandeira de Jesus Salvador 
nas Comunidades e atividades apostólicas:
































Imagens, Vídeos e Arquivos
#FaçoParteDestaHistória

Veja a lista de depoimentos

"Queridas irmãs Salvatorianas chegou o momento de vos agradecer por tudo o que têm feito por mim. Primeiramente  agradeço a Deus por ter colocado pessoas certas em meu caminho. Oabrigada irmãs por tudo que fazem por mim, vós sois a luz do caminho por onde eu passo sem trevas… Não sei mesmo o que seria de mim sem a presença das irmãs na minha vida. Elas são como pai e mãe pra mim, digo isso porque me ensinaram a respeitar, trabalhar e me mostraram o que é o bem e o que o mal. Ajudaram-me muito com os meus estudos e agora fiz a 12ª classe graças a elas por ter me levado ao “Lar São Gabriel” (orfanato). Tudo o que sei e , aprendi neste lar  e com voces em Messica durante as férias. Continuem com esse vosso espírito de partlha, auxilio e dando conselho às pessoas. As irmãs construiram um Cento de Saúde porque pensam o bem estar das populações e é rara encontrar pessoas que pensam dessa forma. O quemais admiro das irmãs é que são muito criativas, trabalhadoras e batalhadoras. Se todos fossemos como elas, o País estaria mais avançado e desenvolvido. Estou muito feliz por elas fazerem parte da minha vida. Desejo que as irmãs salvatorianas tenham muita saúde, felicidade em suas vidas e que Deus as abençõe por serem pessoas tão acolhedoras. Agradeço esta oportunidade que me deram e também a confiança que depositaram em mim."

" As irmãs Cleni e Marli Cacenote, ainda quando jovens compreenderam qual era a sua vocação, vocação esta que puderam desenvolver junto às Irmãs Salvatorianas. Para os familiares, elas são exemplo e orgulho por inúmeras qualidades, dais quais destacamos duas: a vocação para compreender o que é “ser humano”, o cuidado e a dedicação para olhar o outro, entender suas dificuldades, necessidades e a ajuda aos menos favorecidos, que em muitas situações se encontram em estado de vulnerabilidade. A segunda qualidade é a de levar com amor a palavra de Deus, fé e esperança para aqueles que precisam ser cuidados. Deseja à vocês muita saúde e luz para continuar desenvolvendo esse lindo trabalho! Com carinho Ademar Cacenote e família! "

"Ir. Wilma, quantas saudades! Quatro anos em nossa comunidade. Passou muito depressa...Braço forte atuante nas pastorais e formações, visitando doentes, levando a eucaristia e a palavra amiga e de esperança. Ir. Wilma, com a senhora aprendi a lutar por todas as pastorais. Hoje sou ministra, visito os doentes, levo Eucaristia e escuto os desabafos das pessoas. Continuo tudo o que aprendi com a senhora. Hoje, quem continua, Ir. Marli, partilhamos os trabalhos pastorais, amiga,conselheira nas horas difíceis. Ajudou a reconstruir nossa comunidade que se encontrava numa situação difícil. Hoje, é atuante na Pastoral da criança. Obrigada às queridas Irmãs Salvatorianas!"

"A contribuição das Irmãs Salvatorianas é um sinal do Reino de Deus para nossa comunidade. A Irmã Wilma trabalhou muito aqui, apesar das dificuldades aqui encontradas, ajudou nas diversas pastorais, a visita aos doentes e na catequese foi uma incentivadora e sempre nos dizia mantenham viva a fé através da oração, do trabalho e do testemunho, além é claro da amizade que fez com muitas pessoas daqui. A Ir. Marli é uma pessoa firme e incansável na Pastoral da criança, atende principalmente aos mais necessitados chegando a muitas famílias que estão em condições de pobreza e exclusão extrema; também através dela tivemos a ajuda dos Leigos Salvatorianos em atividades na comunidade. A presença delas em nossa comunidade nos remete ao que Jesus disse: “Eu vim para que todos tenham vida”"

"Trabalhei com as irmãs Marli e Cleni Cacenote na Capela Santa Rita de Cássia onde com a coordenação da Irmã Marli, trabalhava com a catequese. Durante os anos que trabalhei pude presenciar o belo trabalho que a Ir. Marli realizava, sempre preocupada na constituição da comunidade, formando sempre novas lideranças bem como a reforma do espaço onde a comunidade realizava seus encontros e celebrações. Nós como voluntários e a capela Santa Rita fomos agraciados de contar com as irmãs que com certeza deixaram marcas de sua doação e motivação para que aquela comunidade se tornasse o que é hoje. "

"Sou Patrícia Santana de Aragão Silva, Postulante Salvatoriana. Fazer parte desta história é viver o seguimento de Jesus Salvador com alegria, vivendo a mística da humildade, da simplicidade, da profecia e do amor, envolvendo as pessoas na construção de um mundo melhor. É ir além, deixando-me conduzir por Deus, onde Ele mesmo deseja estar, de forma renovadora e revolucionária. Louvo e bendigo ao Divino Salvador pela graça de fazer parte desta história. Celebrar os 80 anos da nossa presença no Brasil é uma grande dádiva."

"As irmãs Cleni e Marli Cacenote, contribuíram muito para o crescimento cristão em nossa comunidade. Atuaram com muita dedicação na organização da catequese, todas as 4 etapas. Orientaram também  juntamente com o pároco e alguns casais de catequistas a “Catequese familiar” a qual agregou muitos participantes, que  se sentiram muito bem acolhidos na igreja; a organização de tríduos preparatórios para Catequese, Eucaristia e Crisma. Também orientaram muito sobre a liturgia da palavra. Todos na comunidade têm muito carinho pelas irmãs e nós agradecemos o tempo em que trabalhamos juntos. "

"Como é bom fazer memória! Entrei na Congregação das Irmãs do Divino Salvador em 1962. Posso dizer que sempre fui apaixonada por nosso Carisma: “A vida eterna é esta: que eles conheçam a ti, o Deus único e verdadeiro, e aquele que tu enviaste, Jesus Cristo.” (Jo. 17,3) Sou muito feliz como Salvatoriana. Sigo com grande alegria o ensinamento de Pe. Jordan: “Sê uma verdadeira apóstola de Jesus Cristo, e não sossegues até que tenhas levado a Palavra de Deus a todos os recantos da terra.” (Pe. Jordan - DEI 182,3). Há 24 anos trabalhando como missionária na África, só tenho que agradecer a Congregação por me ter ensinado a viver a experiência do discipulado e servir o Senhor com alegria."

"As irmãs Salvatorianas, Cleni e Marli Cacenote, chegaram em nossa comunidade para somar, ajudar e contribuir no crescimento da mesma. Ajudaram a organizar a Catequese, preparando as catequistas e casais de catequistas para formar a catequese familiar. A catequese familiar foi muito proveitosa, pois os pais  participavam uma vez por mês das atividades catequéticas na igreja, onde recebiam orientações para ajudarem seus filhos em casa. Realizavam tríduos em preparação ao crisma e eucaristia. Ajudaram na organização das fichas dos catequizandos. E também contribuíram muito na liturgia. Agradecemos com carinho a contribuição deixada pelas irmãs.  "

"Fazer parte dos 80 anos de Vida Salvatoriana no Brasil é para mim uma graça de Deus, pois antes de ser Aspirante Salvatoriana eu já fazia parte dessa família.  Desde o Batismo, fui crescendo e acompanhando de perto a missão das Irmãs em Várzea do Poço/BA. Com elas, conheci um Deus Misericordioso que se aproxima do seu povo. E hoje, na alegria do chamado, desejo de todo coração tornar o Salvador conhecido e amado. Obrigada Irmãs Salvatorianas pela vida doada e que o Divino Salvador nos fortaleça em nossa missão."

"Tenho a honra de ter duas tias maravilhosas dentro dessa congregação: Cleni Iolanda Cassenote e Marli Cacenote. Desde pequenas, eu e minha irmã gêmea temos a bênção de tê-las ao nosso lado, sempre nos aconselhando, zelando, orando para que nos tornássemos pessoas boas e honestas. Duas tias e madrinhas exemplares, amorosas, que sempre se doaram pela comunidade e pela família, sempre se apresentando como verdadeiros feixes de luz em meio à escuridão. O carinho e a gratidão é tanto, que me emociono por ter a honra de ter convivido boa parte da vida com as duas, nos esperando sempre com um colinho gostoso e um cafezinho no capricho. Pessoas iluminadas, que sem dúvida alguma tornam esse mundo um lugar melhor, mais humanitário, renovam as esperanças no ser humano, muitas vezes tão sombrio... Cleni e Marli, mulheres guerreiras, fortes, honestas, profissionais dedicadas, tias/madrinhas amorosas e que me enchem de orgulho. O mundo todo deveria ter o prazer de conhecer e se encantar com essas duas, amores da minha vida! "

"Certo dia, fui surpreendida por um sonho insistente: Venha comigo, e na intimidade, entrega-me teu coração. No silêncio te direi quem eu sou e os motivos desafiadores e irrecusáveis para me seguir. Não tenhas medo, meu amor é incondicional, sempre estarei contigo protegendo, amparando e reanimando-a, independente do que te acontecer. Se tropeçares, meu coração de Deus Pai-Mãe estará continuamente aberto para te acolher. Agora vai, porque escolhi e consagrei-te para dar continuidade a minha missão.No Carisma, Espiritualidade e missão apostólica salvatoriana, aprenderá a anunciar ternamente minha Palavra a todas as pessoas sedentas dela. Partilhe também tuas alegrias, sorrisos e a generosidade própria de tua juventude. Estenda os braços e mãos a quem deles precisarem.E na arte de ensinar e educar, testemunhe a acolhida, a solidariedade e a verdade, bem como, o cuidado para com a Mãe Terra e com toda a criação.Feliz e agradecida pelos 80 anos de presença Salvatoriana no Brasil, pelos meus 54 anos de consagração, e buscando ressignificar minha Identidade Apostólica, à luz da Palavra e do Carisma Salvatoriano, entoo meu canto de louvor e gratidão à Trindade, que na sua ternura me acolheu e me enviou em missão."

""Eu faço parte dessa história...." e digo isso porque sou irmão das irmãs Cleni e Marli Cacenote. São nossa fortaleza essas duas. Saíram cedo de casa para um propósito único traçado inicialmente por conta da fé inspiradora de nossa saudosa mãe Malvina A Cacenote, devota de Nossa Senhora e até o seu último suspiro base espiritual de toda a família. Eu sou dos irmãos mais jovens (e tenho 50 já) e acompanho elas especialmente no trabalho realizado na comunidade de Passo Fundo. Como não encher o peito pra dizer que sou irmão da Cleni e da Marli? Nunca vi qualquer delas derrotadas, ou com pessimismo, ou com pretensões de desistir de quaisquer de seus trabalhos e ou propósitos. Uma delas é a razão a outra a emoção, e juntas são maravilhosas. Nossa mãe muito quis deixar com legado religiosas (conseguiu) e um Padre (nós não tínhamos vocação pra tanto)...eu cresci ouvindo isso... mas quem conhece o trabalho da Cleni e Marli saberá que Dona Malvina conseguiu seu propósito. As irmãs vão muito além de todo o trabalho que realizam na escola e na comunidade, pois não abandonam o necessário apoio que sempre precisaram dispensar a sua própria família (11 irmãos). Contado em meio a uma prosa poucos acreditariam no tanto que já fizeram. Eu poderia escrever aqui por horas a fio e não retrataria o tamanho da grandeza do trabalho dessas duas pessoas incríveis. Só mesmo com a benção de Deus celestial e o afago do manto sagrado de Nossa Senhora para que elas tenham chegado até aqui e para que prossigam ainda por muitos anos. MUITO OBRIGADO MINHAS IRMÃS CLENI IOLANDA CASSENOTE e MARLI CACENOTE. O nosso Deus reserva para vocês o que nenhum de nós poderá conceder. Beijo no coração."

"Agradeço ao Salvador por fazer parte desta história Salvatoriana. Sinto-me feliz e realizada na minha vocação. Como as irmãs pioneiras prossigamos também nós, a itinerância neste mundo em movimento e, como Maria, continuemos dando nosso SIM, pois temos certeza de que, Aquele que nos chama e envia, nos acompanha em todos os momentos."

"A história é, antes de tudo, uma narração que busca dar sentido ao tempo e ao espaço de uma comunidade humana. A história de 80 anos de missão das Irmãs Salvatorianas no Brasil é a confirmação de um chamado, de um envio e de uma resposta constante e perseverante da parte de cada Irmã e cada comunidade.  Portanto, o sentido dessa história da qual eu também faço parte é, e sempre será, missionário."

"A presença da Ir. Marli, para nós foi de suma importância, pois ela nos ensinou a lidar com a extrema pobreza, com pessoas que por sua vez  não tinham nada, nem objetivos na vida, imagina ter Deus no coração... Os ensinamentos dela ficaram e ficam ainda nestas famílias crianças que ainda estão no caminho da bondade, da busca de uma vida melhor; ela ensinou a buscar não só uma vida de melhorias   materiais, mas também de melhorar a alma e fé. Foi um bom aprendizado, foi muito bom conviver com ela, pois é um ser humano maravilhoso. "

"Assim como a águia veloz que migra de lugar em lugar é feliz, eu também sou muito feliz em fazer parte desta história dos 80 anos das Irmãs Salvatorianas no Brasil. Reconheço este tempo como uma dádiva; é uma bênção de Deus ser irmã da Província Santa Catarina que me oportunizou a ser missionária no Continente Africano: República Democrática do Congo e Moçambique. Falta espaço para dizer o quanto foi gratificante e o que aprendi com essas nossas Irmãs africanas. Quero dizer que a experiência da internacionalidade, a convivência do dia a dia nos trabalhos apostólicos com crianças subnutridas, mães gestantes, maternidade e Centro de Saúde, com a formação em Moçambique e as atividades que venho realizando. Em tudo isso, me sinto realizada e feliz. Alegro-me em viver o Carisma Salvatoriano de anunciar o Salvador e fazê-Lo conhecido em qualquer parte do mundo."

"“Quão formosos são os pés de quem deixa sua terra, seu lar, pra levar entre as nações o evangelho de amor e da paz” A partir do momento que Ir. Marli Cacenote assumiu a coordenação do ramo São José Operário da Pastoral da Criança a missão se fortaleceu atingindo mais comunidades, famílias, gestantes e crianças. De modo muito especial os mais pobres, excluídos e desesperançados. Seu trabalho comprometido, sua vocação a serviço da comunidade reforçou o papel de igreja em saída da paróquia São José Operário. Irmã Marli sempre participa dos momentos formativos da Pastoral, sempre mantém as líderes amimadas e com formação contínua. O Ramo por ela coordenado contribui muito para o Setor Arquidiocesano da Pastoral Da Criança, pois está sempre em dia com o envio dos relatórios e prestação de contas. Destaca-se a transparência e sinceridade da Irmã Marli na condução desse trabalho que é vital para muitas crianças das nossas periferias. Pessoalmente, é uma amiga de confiança e a tenho como uma das grandes Orientadoras Espirituais de meu trabalho de coordenadora arquidiocesana da Pastoral da Criança. É uma presença apoiadora e muito sensível, principalmente nos momentos de dificuldades que se enfrenta. Certamente ela representa muito bem a missão Salvatoriana, dando um belo exemplo de uma congregação religiosa a serviço da vida."

"Fazer parte dos 80 anos de presença no Brasil é reconhecer a grandeza de Deus que se fez presente em nós Irmãs brasileiras. A coragem e a ousadia da Bem Aventurada Maria dos Apóstolos no envio das primeiras irmãs em terras longínquas, nos desafia a sair de si e ir ao encontro de tantas pessoas.  Além da alegria, é um compromisso em dar continuidade a obra sonhada por Pe. Jordan e concretizada por muitas/os que empregaram suas vidas em prol deste projeto salvífico. É sentir-se bendita pela escolha de Deus e por tantas irmãs que acreditaram e contribuem para a formação do meu ser consagrada."

"É com grande satisfação que deixo meu depoimento em relação ao legado deixado pelas irmãs Cleni e Marli à escola “Lucille”. É um grande número de alunos que tiveram a oportunidade e o privilégio de conhecer e ter o primeiro contato com as letras e palavras através destas professoras dedicadas.  Seu compromisso  sempre foi as crianças das séries iniciais. Em particular, tive o prazer de conviver com as irmãs Cleni e Marli, compartilhando sempre juntas das atividades da escola. Muito aprendi com seus conhecimentos e suas atitudes solidárias, as quais levarei para toda a minha vida. Quero parabenizar pelos 25 anos de vida religiosa, muito dedicado à educação.  Seu legado será sempre as boas lembranças que temos de uma atuação de muito valor, dedicação incansável diante das adversidades. Felicidades, tenho certeza que deixarão saudades e boas lembranças. "

" É uma honra e privilégio fazer parte da Família Salvatoriana. Me sinto duplamente realizado, pois sou funcionário e pai de aluno. Como funcionário me sinto realizado profissionalmente, pois trabalho em um ambiente maravilhoso com ótimos profissionais. Como pai, me sinto satisfeito pois sei que meu filho está tendo uma Educação por Excelência, marca registrada desta Instituição, referência em toda a cidade e região. Agradeço a Deus e a Família Salvatoriana por proporcionar-me essa convivência diária. Muito obrigado e parabéns pela linda história desses 80 anos. "

"É uma grande alegria pertencer a Congregação Salvatoriana. Sinto que Deus dá cada vez mais força e coragem para viver de acordo com os valores deixados por Pe. Jordan e Madre Maria como: conhecer, amar e servir a Deus. Se tivesse que começar hoje, começaria tudo novamente. Em 1950 eu conheci as Irmãs Salvatorianas. Como Irmã, servi a missão, por meio do trabalho na cozinha. Senti a alegria e a doação em colocar-se a serviço.O testemunho das Irmãs pioneiras sempre me deram força, porque eu percebia a imagem de Deus nestas Irmãs. Sou grata.  E fazer parte dos 80 anos é uma alegria! Na vida de oração e na comunhão com as irmãs, juntas tornar Cristo conhecido e amando por todos."

"As Irmãs estão deixando uma contribuição muito linda, que é o carinho com que tratam as pessoas, os funcionários, os alunos, os pais de alunos. Eu vejo em tudo, dedicadas. As irmãs...o amor, o carinho, a dedicação tanto na sala de aula como for. Eu pessoalmente vou achar muita falta delas, principalmente a irmã Marli com quem convivo mais tempo. Elas são queridas, organizadas, sempre com um sorriso para com todos."

"Há 16 anos, tenho orgulho e muita gratidão em fazer parte de um pedacinho dessa grandiosa história da Rede Salvatoriana, em especial do Colégio Salvatoriano Bom Conselho. Como educadora da Família Salvatoriana tenho vivenciado e testemunhado a missão de educar, de ensinar, de alfabetizar e acima de tudo tornar Jesus o Salvador Conhecido e Amado pelas nossas crianças, concretizando o desejo de Padre Jordan e Madre Maria. Vida, justiça, identidade salvatoriana, solidariedade, amor e conhecimento são os valores salvatorianos que fazem parte da minha vida e da minha trajetória profissional. Parabéns Rede Salvatorianas pelos 80 anos de missão no Brasil!"

"Há 20 anos dei meu primeiro Sim ao projeto de Pe. Jordan de tornar conhecido e amado Jesus Salvador. Neste tempo aprendi a ter no coração a esperança; no rosto a alegria de quem serve; nos olhos o brilho de uma apaixonada pelo reino que abre as mãos para receber, e os braços para aconchegar todo o pequeno que deles precisarem. Aprendendo a cada dia servir com a alegria de uma criança, a prudência de um adulto e a sabedoria de uma anciã e, proclamar a glória de Deus por todos os lugares que o sim me levar."

"A Irmã Marli em todos estes anos dedicados à escola mostrou-se uma pessoa comprometida, dedicando amor e carinho pelas crianças com quem trabalhou. Sempre muito prestativa, ajudando a despertar e resgatar em seus alunos o espírito crítico, a cidadania e valores para que se tornassem cidadãos conscientes. Também ressalto o trabalho voluntário da Irmã junto a Pastoral da criança em nossa comunidade trazendo grandes benefícios a todos. Particularmente sou muito grata a essa profissional que faz a diferença na vida das pessoas."

" Querida família salvatoriana, quero aqui expressar a minha alegria e gratidão de fazer parte da historia desta família, a qual me acolheu de braços abertos e aprofundou em mim valores e o desejo de tornar Jesus Cristo conhecido e amado por todos de todos os meios e formas que a caridade nos inspira. Tive a graça de ser formanda nos anos de 2004 a 2008 e nestes anos aprendi através de estudos e exemplos a sentir a necessidade e os anseios do povo por conhecer aquele que tanto nos amou e aí entendi a missão desta família. Hoje tomei caminhos diferentes mas trago comigo enraizado no meu coração esta missão. E através da palavra no meu ministério procuro passar um pouquinho do que aprendi. Aqui deixo minha gratidão por cada membro desta família e por fazer parte desta história. Com carinho e orações..."

"Tenho orgulho de fazer parte da Família Salvatoriana, onde se cultiva os valores  de identidade salvatoriana, vida, amor, justiça, conhecimento e solidariedade, pode-se dizer que é o alicerce para um mundo melhor. Como dizia  Pe. Jordan “Confia no Senhor. Tem uma confiança iluminada em Deus. Ele tudo pode. Confia, confia, confia!”."

"Fazer parte da história dos 80 anos da presença Salvatoriana no Brasil significa pra mim memória, gratidão, alegria, esperança e compromisso. Memória afetiva das marcas com cheiro, cor, sabor, amor e feições que as Irmãs deixaram em minha história familiar e na comunidade cristã ao longo dos 40 anos de missão em Várzea do Poço/BA. Gratidão pelo testemunho de tantas Salvatorianas que ali e em tantos outros lugares foram e são irmãs do povo, formadoras de lideranças e das comunidades de base; educadoras e cuidadoras da vida; anunciadoras de Jesus Salvador, o Peregrino de Nazaré. Alegria porque Deus me chamou a ser Salvatoriana também, atraída por Jesus e sua causa. Esperança e compromisso com o presente e o futuro de nossa missão salvatoriana."

"É com imensa alegria que celebro, como Família Salvatoriana, um grande hino de ação de graças a Deus pelos 80 anos de chegada das  Irmãs Salvatorianas no Brasil, vindas da Alemanha. Minha vocação é fruto dessas primeiras irmãs alemãs que, em 1950, chegaram em missão na Sede 35, hoje David Canabarro/RS, minha terra natal. Entre as primeiras irmãs, duas eram alemãs: Ir. Colonata Ackermann e Ir. Sigmunda Ahrens. Hoje, com 51 anos de vida Consagrada Salvatoriana, meu coração exulta em Deus, meu Salvador! Atribuo minha vocação à educação cristã de minha família e ao testemunho e incentivo das irmãs Salvatorianas e do pároco da época, Pe. Alfredo Beltrame, MSF.  "

"A Irmã Cleni desenvolveu um trabalho de grande valia para a escola e seus educandos. Foram inúmeros  e significativo o seu empenho e desempenho em sala de aula, além de seu trabalho voluntário com as crianças com dificuldades, interagindo, dialogando e orientando alunos e suas famílias. Percebi em seu trabalho dedicação, competência, ética e comprometimento. Agradeço a oportunidade de ter convivido e aprendido com essa profissional que faz a diferença na vida da comunidade escolar."

"O que para mim foi bastante significativo dentro dos 80 anos de nossa história no Brasil, foi o privilégio de viver na época do Concílio Vaticano II, no qual, a Igreja e as Congregações religiosas, viveram profundas mudanças com a atualização dos seus Carismas.  Isso deu novo ânimo, vigor e abertura missionária. "

"Eu faço parte desta história. Faço parte dos abraços dados, dos sorrisos e das palavras ensinadas. Que bom! Faço parte de um grupo que ama, acolhe, acredita e valoriza o ser humano. Muito mais que em suas características físicas e apreços sociais. Acredita em cada um dentro das suas particularidades. Bom Conselho - família em sua totalidade. Gente que planta, rega e espera pela colheita. E dá frutos, muitos frutos, de vários sabores, cores e tamanhos. E assim vai, plantando e colhendo; a cada ano mais um tempo, mais se perpetua e se faz presente. Um orgulho imenso ser Salvatoriano, ser cidadão do bem, assumir este compromisso profissional e poder mostrar para a sociedade. Somos um grupo que realiza e promove sonhos."

"As Irmãs Marli e Cleni, sempre muito dedicadas no desempenho de suas funções de educadoras, são exemplos de respeito, ética e dedicação profissional. Trabalham de forma colaborativa com as colegas, participam com a equipe diretiva no sentido de apontar necessidades de infraestrutura, propõem projetos e ações inovadoras. São verdadeiras mestras, sempre batalhando no aprendizado de seus alunos e contribuindo na formação da cidadania. Trabalhar ao lado de pessoas tão maravilhosas, companheiras e generosas é um grande privilégio."

"O Carisma e a Missão Salvatoriana nos confirmam no compromisso de Educar para a Vida. São por esses valores que há 4 anos faço parte desta história aprendendo e construindo conhecimentos e contribuindo para formarmos cidadãos críticos e responsáveis."

"As Irmãs Salvatorianas Marli e Cleni, estão deixando os alunos muito bem preparados para que trilhem uma carreira escolar muito bem estruturada. Eu como colega, posso afirmar a grande diferença  entre os alunos que passaram por estas maravilhosas educadoras e os que não passaram. Eu só tenho a agradecer a oportunidade de conhecê-las."

"Fui aluna e hoje sou funcionária do Colégio Salvatoriano Bom Conselho. É incrível essa aliança que formamos ao adentrar nesta escola. O amor e carinho por ela é tão grande que fica pertencente a nossa família. Ser Salvatoriana é uma benção divina, pois me torna mais humana e cristã. "

"As professoras Cleni e Marli, nestes anos que aqui estiveram, fizeram da sua sala de aula, um espaço de transformação. Olharam e ampliaram o foco de suas visões para a diversidade; enfatizaram a oralidade e o diálogo; sempre compartilharam com as colegas as experiências do cotidiano e estimularam outras colegas a se envolverem em atividades voltadas à preparação e acompanhamento dos educandos ; se articularam com as famílias para contornar situações desafiadoras. O zelo pela aprendizagem passou pela recuperação daqueles que tem dificuldades de assimilar informações, sejam por limitações pessoais ou sociais.  Procuraram aprimorar o educando como pessoa humana, fortalecendo a solidariedade. Tiveram consciência que mais importante do que o desenvolvimento cognitivo é o desenvolvimento humano e que o respeito às diferenças está acima de toda a pedagogia. Enfim, foi de fundamental importância a contribuição que deixarão, pois sempre atuaram num clima condizente com a realidade de nossa escola. Obrigada às irmãs  Marli e Cleni. "

"Para mim como aluno é uma honra fazer parte da Rede Salvatoriana e saber que é a partir daqui que vamos começar a trilhar o nosso caminho. O Bom Conselho pra mim é mais que uma instituição educacional, é como uma família, pois é sempre bom sentir- se bem acolhido em um lugar e esse lugar é aqui. Pretendo sair do colégio levando grandes ensinamentos e responsabilidades. Aprendi que a liderança forma uma equipe e através dessa se forma a união e com a união fazemos a força. Gostaria de agradecer a Rede Salvatoriana por me proporcionar grandes momentos e me proporcionar uma gratificante base educacional. "

"Há mais de 15 anos tive o prazer de conhecê-las, aqui em minha cidade de Xique-Xique/BA. Essa oportunidade foi por intermédio da Ir. Maria do Carmo, a quem tenho o maior apreço, na qual, eu procurei me inspirar, desenvolvendo trabalhos sociais, aqui na minha cidade. Depois fui conhecendo o grande trabalho dessa Congregação e procurei me enturmar com as outras salvatorianas, as quais, se tronaram minhas amigas. O trabalho relevante desenvolvido por elas, aqui, onde tive a honra de conhecê-las, me influenciou a assumir compromissos: no trabalho, na vizinhança e na cidade em geral. Hoje morando em Salvador-BA, onde tive de trazer meus filhos pra estudarem e formarem. Continuo atuante, não tanto como eu era, pois as atividades profissionais se multiplicaram impedindo de desenvolver muitos trabalhos como antes. Agradeço o que sou, humana, solidária ao que aprendi com minhas amigas Salvatorianas. Deixo o meu abraço e de toda minha família. Como Xique-Xiquense, muito obrigada pelo trabalho prestado na minha cidade por esta Congregação. Orgulho de ter conhecido vocês no tempo certo (Saudades)."

"Eu Rudinei Gomes FAÇO PARTE DESTA FAMÍLIA SALVATORIANO BOM CONSELHO: Como uma parte de minha História de VIDA, AMOR e FÉ."

"Lá nos idos dos anos 80, trabalhei com a Irmã Marli no Colégio Bom Conselho, em Passo Fundo. A Irmã Marli foi uma grande parceira de trabalhos, assim como também conselheira. Muitas vezes sentamos juntas para planejar as atividades que faríamos com nossos alunos, principalmente quando era o momento de preparar as celebrações de dias das mães, Páscoa, dia dos Pais, dia da Criança e Natal. Quantas horas de ensaios de cantos com nossas turmas! Muita saudade disto! Celebrações que deixaram doces lembranças. Ela trabalhava com as primeiras e eu com as quartas séries. Nos uníamos nas atividades e tudo saia lindo demais. Ficou na memória os momentos de convivência com a querida amiga Irmã Marli. As irmãs Salvatorianas marcaram minha vida. Tive o prazer de com elas trabalhar. "

"As irmãs Cleni e Marli são irmãs Salvatorianas que atuaram na Paróquia São José Operário, desde 1991, contribuindo na formação das pequenas comunidades tais como: Capela Santa Teresinha; Santa Rita de Cássia; Nossa Senhora Aparecida e na Matriz com a Pastoral da Criança, Ir. Marli; catequese e liturgia, Irmã Cleni.Que contribuição as Irmãs Cleni e Marli, deixam em sua Paróquia? Ou... Que significado teve a presença destas irmãs em sua ParóquiaOs 25 anos da presença das Irmãs Salvatorianas na Paróquia São José Operário, tem significado que transcende a nossa capacidade de compreensão e de expressão pois cada pessoa com quem elas interagiram, recebeu um chamado, uma interrogação, uma motivação para seguir a proposta de Jesus e levar adiante o Projeto do reino de Deus.A escolha das Irmãs de viver do seu trabalho como operárias da educação, nas periferias da Paróquia que tem como Padroeiro São José Operário, torna sua presença uma luz e um testemunho de consciência com a evangélica opção preferencial pelos pobres, feita pela Igreja no Brasil, na América Latina e no mundo, pelos pronunciamentos do Papa Francisco.Louvemos a Deus por esta presença Evangelizadora com as crianças, jovens, familiares, idosos e comunidades da Paróquia.  Obrigado!"

"Tenho o prazer de #fazer parte desta história. Conheci as Irmãs Salvatorianas em Várzea do Poço/Bahia - Paróquia São Francisco de Assis. Na minha juventude, depois de fazer a primeira comunhão e a crisma, participei dos encontros de formação de lideranças promovidos pelas Irmãs e a partir daí fui catequista e depois animadora da comunidade de Papagainho, zona rual. Hoje, me sinto feliz e honrada por tudo que aprendi com as irmãs salvatorianas e agradeço a Deus por fazer parte desta Família servidora de Cristo. "

"Olhar a história e perceber, testemunhos encantadores: As pioneiras vindas da Alemanha, sua enculturação no Brasil marcando presença junto ao povo, apreendendo a gostar dos seus alimentos, a ter tanto carinho por este povo desconhecido, com seus jeitos, sua cultura, apreendendo a língua, errando e acertando. Visão aberta, enfrentando os desafios, os apelos do momento. Abrindo escolas em pequenas cidades ou vilas. Com o olhar voltado para os pobres percebem a precariedade da saúde e abriram e assumiram hospitais. Com a abertura da Igreja (Vaticano II) partiram em missão com as Igrejas-irmãs em parceria com outras congregações e leigos/as, formando comunidades. Da clausura para comunidades mistas no meio do povo, dos pobres partilhando com eles sua simplicidade e pobreza. Tínhamos a convicção de que anunciar Jesus era anunciar seu projeto de Justiça, solidariedade e Paz - Fé e Vida, sempre foi essa a tônica. No Aspirantado e Postulantado lembro da Ir. Izaura Nogueira com as aspirantes e postulantes aos sábados à tarde nos morros de Videira/SC organizando e fazendo catequese, reunindo crianças de todo canto. Foi neste tempo que pude ter minha primeira Bíblia. Grande presente, grande alegria."

"Estimada Família Salvatoriana,  quero expressar  do fundo do meu coração a minha satisfação  de fazer parte desta linda  história por  vinte anos de caminhada. Durante esse tempo tive a graça de conhecer e conviver com várias irmãs, com as quais eu aprendi muito  e sinto muita saudade de todas. Agradeço ao Divino Salvador e ao Pai fundador, Pe. Jordan, a oportunidade de conhecer  e conviver com essa  linda família SDS que amo muito. Um   grande AXÉ!"

"Querida Família Salvatoriana! Minha história teve início ainda na infância, quando fui aluna do antigo Círculo Operário, atual Creche Conde Modesto Leal de Joinville/SC. Permaneci por pouco tempo e retornei a ter contato na catequese de 1° Comunhão com a Ir. Celeste Ferlin. As Irmãs Salvatorianas fazem parte da minha vida até hoje. Mesmo tendo tomado um caminho diferente, ainda me sinto Salvatoriana e dou graças a Deus por toda presença e carinho que recebi ao longo da minha infância, adolescência e vida adulta. Peço ao Divino Salvador que inspire e fortaleça a todos os membros desta linda família. Parabéns pelos 80 anos de presença no Brasil. Grande e saudoso abraço!"

"Eu acredito sim que, para cada um/a, Deus tem um projeto e, um dia, a gente descobre que não é qualquer saber, ou mesmo serviço-trabalho que nos realiza. Ele suscita uma sede maior. O testemunho, o exemplo, a alegria de servir de outros/as nos desperta, para novos horizontes. Deus tão grande, poderosos, onipotente, justo, o descobrimos, frágil, na humildade e pleno de misericórdia. Foi Padre Jordan e Maria dos Apóstolos com sua história e carisma, apaixonados, experimentaram na profundidade o amor deslumbrante do Deus Salvador e, me disseram que valia a pena que outros o conhecessem. Eu topei. Aqui estou e, acredito que no meu pequeno caminhar do dia a dia, outros também o conhecerão."

"Queridas irmãs! Neste ano de festa em comemoração ao ano jubilar da congregação, com gratidão faço uma memória do que vivi na paróquia de Várzea do Poço/BA com a experiência das irmãs vivendo naquela pequena cidade onde o povo precisa de LUZ. Tornar Jesus Cristo conhecido e amado por todos num lugar onde muitos tem sede, fome de pão e justiça, não é nada fácil. Missão esta que comecei a experimentar desde pequena. Ainda criança a minha família num momento de muito sofrimento recebeu a visita da irmã Zelita de Melo, muitas coisas mudaram nas nossas vidas. Minha mãe e eu viajávamos à noite, a pé no escuro, mais de 6 km para irmos a catequese, círculos bíblicos e celebrações. Depois de um tempo conseguimos ir morar na cidade porque a nossa casa da roça, caiu. Estando mais perto da comunidade, minha mãe começou a participar das atividades da paróquia, passamos por muitas amarguras, tínhamos muitos desejos, mas buscar Deus era o maior e assim quem quis mudou. Cresci dentro da paróquia convivi com muitas irmãs, elas me educaram para a vida desde a minha infância, a adolescência e a metade da minha juventude para ser o que sou hoje. Tudo o que me deixava triste e sem forças era partilhado no clube vocacional, na catequese, no pré-adolescente e depois no grupo de jovens. Experimentamos de tudo um pouco. Quando a dor era grande demais que eu não aguentava carregar eu corria para a sua casa e lá eu tinha apoio das irmãs que marcou a minha vida e eu recordo com carinho cada uma delas que tive o luxo de conviver. Acabei sendo uma das meninas que era a companhia das irmãs para ir para as CEBs - nas comunidades da roça, e eu me sentia gente por ser escolhida para ensaiar os cantos com o povo e atender as crianças. Sentir um chamado tão forte de Deus para ser também consagrada e me dedicar a missão das irmãs salvatorianas, mas a vida me levou para seguir outra missão diferente, seguindo por outros caminhos. Jamais esquecerei o carinho apoio e formação de cada irmã que viveu e até hoje vive inserida na luta para ser luz àquele povo da Paróquia São Francisco de Assis. Aqui deixo a minha profunda gratidão a Deus e a cada uma que construiu na minha história esperanças de ser melhor para me mesma, para a minha família e para o povo. A vocês esposas de Jesus meu abraço e parabéns pela linda missão!"

"Querida Família Salvatoriana... Quero registrar a minha alegria de fazer parte da história da Congregação Salvatoriana. A história teve início quando fui convidada pela professora Mafalda para atuar como professora de Trabalhos Manuais – estava cursando a Faculdade de Belas Artes, no antigo, mas tão importante Normal de Férias, da Escola Salvatoriana Bom Conselho de Passo Fundo, que atualizou e certificou tantos professores da nossa região. Foi tão bonito e emocionante esse início para mim... Em uma das turmas fui honrada com a presença da minha professora do quarto ano primário. Daí para a frente foram só emoções, crescimento, amizades, carinho e muitas realizações. Fui professora do Normal Regular e no Ensino Fundamental. Também, fiz estágio da Faculdade. Mais tarde, tive muito contato com o Bom Conselho através do Ensino Religioso. Coordenei o ER na 7ª CRE e fizemos dez Encontros do ER. Todos dentro do Bom Conselho, com todo apoio possível e impossível da Escola. Hoje sou voluntária no Projeto TransformAção em Arte, na Vila Popular, coordenado pela Ir. Inês Sartori. Não faço muito, mas faço de coração, aprendendo cada dia mais com a Ir. Inês que é um cerne, uma locomotiva nesse Projeto, fazendo tanto bem a tantos que nada tem e são filhos de Deus como nós. Não vou citar outros nomes porque corro o risco de esquecer alguém. O fato é que foram muitas pessoas queridas com as quais muito aprendi e que guardo lindas recordações e exemplos. Agradeço a Deus pela vida e vida de todos, pela oportunidade de conhecer e poder conviver com a Família Salvatoriana e Fazer Parte Desta História."

Envie seu depoimento!

Conte-nos como você faz parte desta história, você pode enviar uma imagem ou um vídeo que ajude a contar sua história!

#FaçoParteDestaHistória


Formatos aceitos (jpg,png,avi,mp4)