Carisma, Espiritualidade e Missão

Carisma Salvatoriano

 

 

O Carisma Salvatoriano é a graça, o dom específico, concedido a Padre Jordan pelo Espírito Santo, para ser colocado a serviço da Igreja e do mundo dando continuidade à missão de Jesus Cristo, o Salvador, que veio anunciar a Boa Nova da Salvação, "para que todos tenham vida e vida em abundância".

  Para fundar a Família Salvatoriana, Padre Jordan se inspira em Jo 17,3: “Ora a vida eterna é esta: que eles conheçam a ti, o Deus único e verdadeiro, e aquele que tu enviaste, Jesus Cristo.”  A Palavra de Deus contemplada na oração deu ao Fundador a certeza de que Jesus Cristo só podia ser conhecido se fosse anunciado. E anunciar Jesus Cristo é revelar um Deus que é Pai-Mãe, que ama e quer a salvação de todos.

  Este anúncio acontece no espírito dos Apóstolos. A universalidade de meios, de membros e lugares de atuação é sua característica essencial. Para efetivar o anúncio, Padre Jordan encarregou-nos a utilizar “todos os modos e meios que o amor de Cristo inspirar".

 

 

 

 Elementos do carisma que marcam nossa ação:

  • Testemunho de vida;
  • Anúncio;
  • Preparação de lideranças;
  • Universalidade - geográfica, étnica e instrumental.

 

Para que o carisma se concretize em nossa vida e missão requer-se:

  • Seguir decidida e fielmente o Divino Salvador, a exemplo dos Apóstolos.
  • Proclamar Jesus, o Salvador, e com Ele, no Espírito Santo, tornar conhecido o Pai.
  • Dar testemunho de vida, revelando Deus em nosso ser e agir.
  • Amar a Deus e ao próximo sem reserva, no amor doação maior possível.
  • Fazer tudo para a maior glória de Deus e para a salvação do próximo.
  • Empenhar-se na formação de lideranças cristãs - apóstolos leigos.
  • Tornar discípulos todas as nações.
  • Proclamar a universalidade da mensagem de Cristo.

 

Metodologia

  A metodologia que caracteriza nossa vida e apostolado se inspira em nosso Modelo, Jesus, o Salvador. Nossa missão é marcada pelo apelo insistente de formar leigos que sejam apóstolos e de envolver sempre mais gente no compromisso do anúncio do Reino.

  Jesus, ao iniciar sua vida pública, chama alguns para segui-lo e para serem seus discípulos. Entre estes escolhe doze apóstolos. Ele chama, prepara as pessoas, fazendo delas seguidoras, líderes, a fim de perpetuar sua missão.

  Inspirando-nos no exemplo do Salvador e dos Apóstolos, que se preocupam em formar discípulos que os auxiliem na missão, somos chamados a dar esta característica à nossa missão Salvatoriana, envolver outros, fazendo uso da mesma pedagogia, a fim de motivar para o compromisso.

  Precisamos ver as pessoas com os olhos do Salvador, ensinando como Ele ensina, envolvendo como ele envolve, evangelizando como ele evangeliza, fazendo uso da metodologia que ele usa.

  A metodologia do discipulado constitui uma característica própria de nossa missão. Padre Jordan insiste que tomemos como modelo o Salvador, inspirando-nos no exemplo dos Apóstolos: "Sê um verdadeiro apóstolo de Jesus Cristo, e não sossegues até que tenhas levado a Palavra de Deus a todos os recantos da terra.” (Pe. Jordan - DEI 182,3)

Espiritualidade Salvatoriana

Jesus Salvador é o modelo inspirador e a fonte de nossa espiritualidade. Como Irmãs Salvatorianas somos chamadas a nos identificar com Jesus Salvador, ter seus sentimentos e atitudes, aderir à sua pessoa, ao seu projeto, conhecê-lo e experimentá-lo como Vida, Libertação e Salvação.

 No esvaziamento total de nós mesmas, por amor, fazemos a experiência da Salvação acontecer em nossa vida. Quanto mais profunda for esta experiência, mais nos sentiremos motivadas a transbordar e anunciar com ardor a Boa Nova, a fim de que também outros entrem na mesma dinâmica do amor de Deus que salva.

 A Espiritualidade Salvatoriana é a maneira como nós, Família Salvatoriana, vivenciamos concretamente nosso Carisma e Missão no dia a dia. Elementos específicos de nossa espiritualidade:

      • Conhecer Deus, isto é, fazer a experiência de Deus como centro de nossa vida;
      • Confiar na Divina Providência, sendo pessoas orantes;
      • Viver a santidade como vocação e ajudar outros a fazer o mesmo;
      • Ter zelo apostólico, vivendo a justiça, a solidariedade e a fidelidade;
      • Amar a Igreja;
      • Estar disposto (a) a carregar a cruz por amor à missão;
      • Seguir o exemplo de Maria em tornar conhecido o Salvador.
      • Amar a todos de maneira inclusiva, manifestando a bondade e o amor do Salvador (Tt 3,4);
      • Viver a simplicidade dos filhos e filhas de Deus, sendo pobres em espírito;

 Quem participa da obra Salvatoriana terá como espiritualidade viver o seguimento de Jesus Salvador, a exemplo de Maria e dos apóstolos. Atitudes que caracterizam este nosso jeito de ser e agir Salvatoriano:

  1. TER ILIMITADA CONFIANÇA EM DEUS: Viver a vida como uma entrega total. Saber manter a serenidade diante dos desafios, com esperança e confiança em Deus.
  2. SEGUIR JESUS, A EXEMPLO DOS APÓSTOLOS: Deixar tudo pela causa de Jesus. Colocar-se a caminho para “ficar com Jesus” e “ser enviada/o por Ele” (Mc 3,14). Como os apóstolos em Pentecostes, fazer do Reino de Deus nossa missão, nossa esperança.
  3. ANUNCIAR A SALVAÇÃO DE DEUS NA HISTÓRIA: Tornar presente a Salvação de Jesus Cristo como ação gratuita de Deus na história, reconhecendo o profundo amor de Deus e seu chamado à comunhão plena com Ele, no serviço aos outros e no cuidado com a natureza.
  4. TER UMA VISÃO UNIVERSAL: Possuímos uma dimensão de abertura e de um amor inclusivo. Em nossa missão estamos dispostos a ir a qualquer parte do mundo, sem discriminação nenhuma.
  5. CAMINHAR NA FÉ COM MARIA: Saber reconhecer o rosto feminino do amor de Deus em Maria. Ver nela a guia, a mestra e modelo de fidelidade no serviço do Reino. Pedimos sua intercessão, chamando-a com o nome de “Mãe do Salvador” e “Rainha dos Apóstolos”.
  6. SER FIEL À IGREJA DOS APÓSTOLOS: Viver a unidade como característica fundamental dos seguidores de Jesus (Jo 17, 22-24), vivendo e entendendo a Igreja como Povo de Deus. Assumimos a missão de evangelizar em espírito de comunhão e de conjunto. Somos portadoras da Boa Nova da Salvação, comunicada pelo testemunho da palavra e pela força de Deus.
  7. VIVER A POBREZA COMO COMPROMISSO: Assumir voluntariamente a pobreza como uma atitude de abertura a Deus e disponibilidade de quem tudo espera do Senhor. Consagramos o que somos e o que temos a serviço de nossa missão na Igreja. Buscamos ser solidárias com a condição dos empobrecidos e excluídos deste mundo, denunciando as estruturas de injustiça e as situações de miséria.
  8. VIVER A MÍSTICA DA CRUZ: Aceitar sofrer pela causa do Evangelho, assumindo com fidelidade o seguimento a Jesus, sem medo dos conflitos e abraçando a cruz salvadora de Jesus Cristo. Somos pessoas solidárias com os crucificados da história, testemunhando com nossa vida a doação e o amor incondicional.

Missão Salvatoriana

Como Família Salvatoriana, somos chamadas (os) e enviadas (os) em missão para anunciar, com nosso modo de ser e agir, a mensagem do Evangelho contida nos elementos-chave de nosso carisma:

  •  Empenhar-se pela vida plena, ou seja, pela salvação de todos;
  • Ajudar outros para chegarem a uma consciência existencial sobre Deus;
  • Apoiar-nos reciprocamente em nosso compromisso apostólico;
  • Enfatizar o papel do apóstolo leigo e envolvê-lo na missão;
  • Proclamar a Boa Nova a todos os povos, por toda parte e em todos os tempos, com todos os modos e meios que a caridade de Cristo inspira, tornando o Salvador conhecido.

  Padre Francisco Maria da Cruz Jordan, fundador da Família Salvatoriana, era um homem além do seu tempo, um verdadeiro profeta. Partindo dessa realidade, lutou por novos métodos de evangelização, dentro de uma visão ampla e universal, e empenhou-se de corpo e alma pelo apostolado leigo. Dizia: “Todos os cristãos católicos devem ser apóstolos no mundo”.

 Destacamos os elementos que constituem nossa missão:

a) TESTEMUNHO DE VIDA

 A missão salvatoriana pode ser sintetizada no conceito do “testemunho de vida” ou do “sinal”. Antes de tudo, diz Pe. Jordan, a Salvatoriana e o Salvatoriano devem “proclamar a glória de Deus”, manifestando-a através do ser e do agir. Só pode levar Deus aos outros, quem, de fato, é de Deus.

b) ANÚNCIO DE JESUS CRISTO, O SALVADOR

 O testemunho de vida é essencial. O segundo elemento da missão Salvatoriana é, pois, a ação na Igreja, que se resume na ação e no anúncio de Jesus Cristo como o Salvador do mundo.

  Pe. Jordan fundamenta este anúncio de Jesus Cristo, entre outros, com o trecho do Evangelho de São João: “A vida eterna é esta: que eles conheçam a ti, o único Deus verdadeiro e aquele que tu enviaste, Jesus Cristo” (Jo 17,3). Para aderir a Jesus Cristo é preciso conhecê-lo. Só pode ser Igreja quem conhece a sua fé. E para isso é preciso ensinar, levar ao conhecimento, anunciar.

c) PREPARAÇÃO DE LIDERANÇAS

A missão Salvatoriana de anunciar o Salvador possui uma característica bem peculiar: anunciar envolvendo, engajando, formando líderes cristãos, apóstolos. É nossa missão lutar por um conhecimento profundo da fé, que assegure o envolvimento de maior número de  pessoas comprometidas, tornado-se agentes de transformação. “Os sábios brilharão como o firmamento, e os que ensinam a muitos a justiça, brilharão para sempre como estrelas”. (Dn 12,13)

d) UNIVERSALIDADE

Inspiradas no Divino Salvador, nossa missão salvatoriana tem como centro a pessoa humana a ser salva sem discriminação de gênero, raça, cultura, classe social, nacionalidade.  Todas as pessoas são iguais em dignidade e valor. Isto implica em respeito e acolhimento à pessoa em sua situação concreta. Nossa missão realiza-se numa tríplice universalidade: geográfica (lugares), étnica (pessoas) e instrumental (meios).

 

 SÍNTESE DA MISSÃO

  Pe. Jordan resumiu assim nossa missão Salvatoriana: anunciar Jesus Cristo com o exemplo (testemunho de vida), palavras e escritos (formas de anunciar) e de todos os modos que a caridade de Cristo inspira, escolhendo as atividades apostólicas de acordo com as necessidades do tempo e lugar. Eis a missão Salvatoriana! Ela prevê o engajamento e o envolvimento de todos. Todos devem ser apóstolos, todos devem participar ativamente da missão da Igreja, que é anunciar Jesus Cristo.